Comércio (IN)Justo | #comerciojustopt

Já vos ocorreu pensar como é que é possível existirem t-shirts à venda por 2€? Pensem em todos os intervenientes:  temos em primeiro lugar quem vende as sementes, quem planta o algodão, quem o transforma em tecido, quem as costura, quem as vende e a marca que as compra. Neste ciclo todo, imaginem quanto ganhará cada pessoa envolvida… será que recebem o valor justo? É óbvio que não… e eu sei que todo este post pode não mudar nada… mas achei pertinente trazer o tema aqui ao blogue.

Tudo começou com a sugestão da Alexa, num dos seus vídeos e não hesitei em ver este documentário que retrata a atual “fast fashion”. Percam pelo menos os dois minutinhos a ver o trailer… mas se conseguirem, vejam mesmo o documentário completo! É claro que já sabemos que existe exploração mão de obra barata… que existem más condições de trabalho nas fábricas… mas acreditem que é outra perspectiva conseguir ver todos os envolvidos: tem havido um aumento no nº de suicídios entre os agricultores, são desenvolvidas novas doenças devido à exposição de químicos nas plantações, cada vez nascem mais crianças com deficiências (pelas mesmas razões), as mães são obrigadas a deixar os filhos ainda bebés com familiares longe, vendo-os de ano a ano, existem fábricas a cair aos pedaços, inclusivamente já existiram derrocadas fazendo centenas de mortos… já para não falar das implicações no meio ambiente em todos os níveis.

 

 

O que acontece na industria da moda também acontece no setor da agricultura (e produtos alimentares no geral). Lembro-me de há tempos ver um artigo na Deco sobre a exploração na plantação de bananas. (sim aquele fruto que adoramos comprar a 1€/kg e que ainda é melhor quando está a 70, 80 cêntimos!) 

“Pois está bem Cláudia e o que é que podemos fazer?”

Estamos em crise, tudo o que é barato dá-nos jeito! Eu percebo isso…. mas podemos mudar qualquer coisa. Penso que ter esta consciência é o primeiro passo. Pensar-mos duas vezes antes de comprar mais um trapinho, antes de alimentar-mos o nosso espírito consumista! Precisamos MESMO de mais um top? Quem é que nunca foi comprar um trapinho propositadamente para um jantar só porque era barato? Eu confesso que já fiz isto tudo, mas também vos garanto que as vezes seguintes a entrar numa loja depois de ver este documentário, não foram iguais às anteriores. Se cada um de nós mudar um pouquinho que seja, acho que já estamos a dar o nosso contributo!  

Particularmente na alimentação está cada vez mais ao nosso alcance MUDAR! Cada vez mais conseguimos ter acesso a produtos nacionais no nosso mercado. Eu sei que muita da oferta está concentrada na capital ou “grandes cidades”, mas um pouco por todo o país existem mercados maioritariamente frequentados pelos agricultores dessa zona! Podem VER AQUI alguns exemplos. E pensem também nas pessoas que conhecem… combinem trocas! Mel, limões, laranjas, ervas aromáticas, tomates … não conhecem ninguém que os produza/plante? A sério?! 

biomercado
do site do Biomercado: http://www.biomercado.com.pt/
thecrufairtrade
do FB do The Cru – Organic, Raw & Healthy Food: https://www.facebook.com/TheCruHealthyFood

Eu acho que podemos mudar e queria muito a vossa ajuda para elaborar uma lista de empresas/serviços portugueses que possamos divulgar neste sentido. Eu conheço alguns, mas eu sei que vocês devem conhecer muitos mais! 

comerciojustopt

Deixem nos comentários a vossa opinião sobre este tema e exemplos de comércio português que podemos apoiar! Deixo-vos também o desafio de partilharmos as nossas descobertas neste tema com a hashtag #comerciojustopt

One thought on “Comércio (IN)Justo | #comerciojustopt

  1. Concordo a 100% Claudia.

    Há tambem a Biocoop – Figo Maduro, perto do aeroporto e a Miosotis – perto de s.sebastião/saldanha.

    Beijinhos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *